Ataque Psíquico (ou A Mecânica Oculta do Mal)

Ataque Psíquico

(OU A MECÂNICA OCULTA DO MAL)

ENSAIO SOBRE SUA NATUREZA, METODOLOGIA E MODUS OPERANDI

POR GREGORY BADEAUX

EXÓRDIO: SOMOS TODOS NÓS FEITICEIROS???

“O feitiço é uma superstição com a qual certos entendidos conseguem prejudicar o próximo” (conclusão de um Cientista muito conhecido no meio Acadêmico, mas que preferiu o anonimato) “O Feitiço é o envenenamento – ou tentativa de envenenamento – do astral d’uma pessoa pelo ódio de uma outra. Dizer mal d’um ausente, procurar prejudica-lo sem que elle o saiba, são feitiços verbaes. Pensar que succederá mal a alguém, que se acha muito feliz, é um enfeitiçamento mental…” (DR. PAPUS, “PARA COMBATER O FEITIÇO” – 1926)

Inicio este primeira parte de meu ensaio, dedicado a tentar elucidar e compreender melhor os mecanismos ocultos de atuação e os processos que envolvem os ditos “ATAQUES PSÍQUICOS”, citando este pequeno trecho introdutório da singular obra “Para Combater o Feitiço – Modo de desfazer scientificamente a feitiçaria e outras artes da magia negra”, do insigne médico, ocultista e magista Dr. Gerard Encausse (Papus), para que possamos ter então uma breve noção da extensão com que todos nós podemos ser afetados pela ação perniciosa e destrutiva do FEITIÇO, incluindo também como exemplo á seguir, algumas de suas formas e métodos de ação mais comuns.

“O FEITIÇO VERBAL”

“E uma vez lançada, a palavra voa irrevogável” (Quinto Horácio Flaco – Poeta e Filosofo Romano)

Apenas para se ter uma pequena ideia de como o feitiço esta tão comumente inserido em nosso cotidiano, e por assim dizer, agindo muitas das vezes de forma “imperceptível”, mas com efeitos concretos e bastantes “perceptíveis” em nosso equilíbrio energético-vital e bem estar geral, uma de suas formas mais “banais”, mas nem por isso menos prejudicial (ao contrário, até pelo volume e facilidade com que infelizmente acontece!), é a do “FEITIÇO VERBAL”. Como um dos exemplos mais comuns, este pode ser “lançado” de maneira DIRETA e de forma INTENCIONAL, com o puro e simples desejo de gerar algum tipo de irritação, mal estar, constrangimento e consequente desgaste ao interlocutor (mesmo que advindo de forma aleatória, proferidos por elementos com este tipo de índole ou costume). Note apenas que não há necessariamente neste caso, um grau de conhecimento prévio ou mesmo preparo do agressor em sua ação, apenas a predisposição de seu caráter e psiquismo negativos.

INDIVÍDUOS INCONVENIENTES E NEGATIVOS

Já em uma variação de sua maneira DIRETA, mas normalmente de forma NÃO INTENCIONAL (mas não menos perniciosa), temos a ação “enfeitiçante” de pessoas essencialmente inconvenientes e negativas (sem energia própria, grosseiras, vulgares, repetitivas, cansativas, de caráter fútil ou mesmo frívolas e etc.) de nosso PRÓPRIO CÍRCULO DE RELACIONAMENTOS, que são, via de regra, “excelentes condutoras” para este tipo de feitiço (em função também de serem “esponjas”, que absorvem e emanam padrões energéticos negativos, com grande facilidade). Destacando que muitas delas podem ser de relação muito próxima e não alienável, ou ao menos, não tão facilmente! (como Pais, Mães, Irmãos etc., ou mesmo conjugues!).

Exemplificando ainda para melhor compreensão, é o mesmo caso da convivência contínua com pessoas muito “tóxicas” e negativas, que vivem se lamentando da vida, que nos buscam constantemente para “descarregar” suas mágoas e destilar suas insatisfações, ou mesmo que apenas possuem um padrão energético oposto ao nosso (aí incluem-se certos “amigos”, colegas de trabalho e etc.). Em todos estes casos citados, podem haver da mesma forma grandes prejuízos energéticos as suas vítimas invigilantes, proporcionalmente também é claro a chamada lei das “AFINIDADES VIBRATÓRIAS” (Nós sempre somos diretamente responsáveis por tudo que atraímos!)

Portanto, muita atenção também com estes aspectos, mudando se necessário for a conduta perante sua rotina e principalmente em relação a estes tipos de indivíduos.

FOFOCAS, INTRIGAS E MALIDICÊNCIAS

Outro método muito comum de ação do dito “Feitiço Verbal”, seria de maneira INDIRETA, sendo “lançado” desde aquela fofoca dita “inocente” e costumeira, ou mesmo por intrigas e maledicências intencionais (premeditadas), que visam sempre gerar algum tipo de desconfiança, mal estar ou embaraço ao ente visado, perante algum tipo de coletivo (ou seja, SEMPRE VIA TERCEIROS). Dito isto, não fica portanto difícil de imaginar, porque este tipo de “corrente mental”, plasmada e propagada através do disse-me-disse e formada usualmente por indivíduos de baixa moral e de psiquismo inferior (incluindo aí é claro, invejosos, recalcados e etc.), seja potencialmente prejudicial e destrutiva. ISTO É CLARO, QUANDO NÃO TOMAMOS OS MÍNIMOS CUIDADOS COM A NOSSA SEGURANÇA PSÍQUICA & ENERGÉTICA.

UMA BREVE ADVERTÊNCIA, PARA REFLEXÃO:

Portanto, cabe assim neste momento a seguinte advertência: engana-se aquele que pensa que o feitiço seria obra apenas dos “vulgos e seus despachos nas encruzilhadas”, pois todos nós (independentemente de credo, nível econômico-social, cultural e etc.,) em um determinado momento, em maior ou menor grau, “SOMOS FEITICEIROS”.

ATAQUES PSÍQUICOS e AGRESSÕES ENERGÉTICAS COTIDIANAS

“…NO COTIDIANO, como na senda oculta, o preço da sanidade mental, como o preço da liberdade, é uma eterna vigilância…” (trecho extraído e adaptado da obra “Ataque e Defesa Astral” – Marcelo Ramos Motta/O.T.O)

Optei por abrir a primeira parte deste ensaio, citando as ditas “ações enfeitiçantes”, pois de fato acredito ser ainda surpresa para muitos, que algo tratado como crendice e superstição por tantos, esteja tão naturalmente inserido e atuante em nossa vida diária/moderna (sendo é claro, desconhecido como tal). Mas a verdade é que existe muito mais além disto, e por este motivo, nesta segunda parte tentarei expor classificando didaticamente, e em uma “ação escalar”, outros tipos e modos de ação mais comuns dos ditos ATAQUES PSÍQUICOS e AGRESSÕES ENERGÉTICAS de nosso cotidiano.

ATAQUES POR AÇÃO DIRETA:

O QUEBRANTO (ou “OLHO GORDO”), A INVEJA e A JETTATURA

Um dos exemplos mais “clássicos” das agressões energéticas por AÇÃO DIRETA, vem da PROJEÇÃO EXTREMAMENTE DANOSA DE FLUÍDOS DELETÉRIOS, procedentes de indivíduos que nutrem FORTE INVEJA OU DESPEITO POR OUTREM. Popularmente conhecida como: “Quebranto” ou “Olho Gordo”

Tão velha quanto a própria humanidade, A INVEJA (E TODOS OS SENTIMENTOS QUE DELA EMANAM), que frequentemente é “cultivada” por pessoas ociosas, sem personalidade, desprovidas de ideias ou objetivos próprios, ou ainda recalcadas e frustradas com suas próprias condições de vida, as tornam como VERDADEIRAS USINAS dos ditos fluídos. Portanto devemos sempre evitar ao máximo o contato com este tipo de pessoa, realço neste caso específico, da proximidade física em relação as mesmas, pois a projeção é DIRETA, normalmente via “TERCEIRO OLHO” (o ponto central da testa, entre os dois olhos físicos). Seria muito importante destacar também, que esta mesma INVEJA, frequentemente se torna o motor e o próprio “combustível” de muitas outras formas de ataques, como as que descreverei um pouco mais adiante.

Cabe ressaltar ainda, que muitas das vezes a projeção é NÃO INTENCIONAL (existe uma espécie de pré-disposição psíquica para tanto) e advinda ainda de acasos (com frequência esbarramos com indivíduos portadores destas condições, por isso o mínimo de vigilância e atenção é sempre recomendada, em especial, com crianças, animais domésticos e demais seres potencialmente mais vulneráveis).

A JETTATURA

Mas por outro lado, realmente existem elementos que já conhecem dessas suas, digamos, habilidades negativas (tal como denominada pelos antigos Italianos, A JETTATURA, ou “PODER DO OLHO MALIGNO”) e que portanto se utilizam INTENCIONALMENTE DELAS (associando-as muitas das vezes á outras “técnicas” enfeitiçantes, pragas ou maldições) para prejudicar, mesmo que aleatoriamente, todos aqueles que de alguma forma cruzam os seus caminhos e lhe “incomodam”. PORTANTO, ATENÇÃO SEMPRE!

A SUGESTÃO CONSCIENTE

Um desdobramento mais “refinado” do modo de ação do dito “feitiço verbal”, portanto em uma escala ainda mais contundente, seria o MÉTODO de SUGESTÃO CONSCIENTE (normalmente estando o agente agressor na presença imediata da pretensa vítima, salvo algumas exceções, conforme explicarei mais adiante). Pois esta costuma agir DIRETAMENTE SOBRE o ÂNIMO e o PSIQUISMO da vítima por intermédio direto de seu agressor, tentando desta forma gerar algum tipo de influência, manipulação, ou mesmo prejuízos mais severos a mesma, já trazendo ocasionalmente portanto, as características de premeditação e intenção muito mais claras, além de seus objetivos normalmente muito mais bem definidos.

Ressaltando também, que este tipo de agressão atinge, ou mesmo visa a atingir, ao menos em seus estágios iniciais, a consciência objetiva do indivíduo, e sendo assim, necessariamente utiliza em seu modo de ação, além do componente verbal, o gestual (incluindo imagens e símbolos) ou coercitivo por exemplo, ou ainda, uma combinação de todos estes.

ALGUNS EXEMPLOS DE SEU MODO DE AÇÃO

IMPORTANTE: os “estágios” que me refiro á seguir, são muito mais em função do fator de incidência (ou seja, da frequência com que ocorrem), do que propriamente da capacidade nociva de contundência individual dos ataques descritos, daí sim, variando muito de caso a caso.

(DOS SEUS ESTÁGIOS INICIAIS E INTERMEDIÁRIOS)

PROPAGANDAS, MARKETINGS E OUTRAS “ATRAÇÕES”

(ABUSIVAS, DISTORCIDAS E DE CUNHO NOCIVO)

“A essência da propaganda é ganhar as pessoas para uma idéia de forma tão sincera, com tal vitalidade, que, no final, elas sucumbam a essa idéia completamente, de modo a nunca mais escaparem dela. A propaganda quer impregnar as pessoas com suas idéias. É claro que a propaganda tem um propósito. Contudo, este deve ser tão inteligente e virtuosamente escondido que aqueles que venham a ser influenciados por tal propósito NEM O PERCEBAM.” (Paul Joseph Goebbels, Ministro da Propaganda e Comunicação do III Reich na Alemanha NAZISTA, – de 1933 a 1945)

Em seu estágio inicial, nós temos como exemplo bastante comum os assédios praticados por operadores de telemarketing em geral (quem já não perdeu o controle com os abusos cometidos por este tipo de gente!), que costumam invadir de forma vil e extremamente desagradável a nossa privacidade (note que á distância, mas falando!), associando ainda ao fator da INSISTÊNCIA (OU REPETIÇÃO), que aliás, é de fato expediente muito comum em qualquer das modalidades deste tipo de agressão. Pode parecer que não, mas esta é uma das formas mais inconvenientes e daninhas deste modo de ataque, pois costuma agir de forma aleatória e sem nenhuma razão ou objetivo específico, há não ser os de nos infernizar gratuitamente, pois nos localiza inoportunamente em qualquer hora ou lugar (no celular, residência, escritório e etc.,).

Daria também como destaque, as ações de certos tipos de propaganda e imagens subliminares, que carregam “codificadas” dentro de si, determinadas informações intencionalmente implantadas, objetivando a transmissão subjetiva das mesmas (TODAVIA A PRIORI, ATINGINDO VIA IMAGEM, PALAVRAS i.a., A CONSCIÊNCIA OBJETIVA dos indivíduos). Incluem-se aí também determinados jingles e slogans, e inclusive alguns destes, gritantemente “HIPNÓTICOS” (vide o estrago brutal que podem causar, obviamente que associados ao “conjunto da obra”, e especialmente quando relacionados a estratégias políticas/eleitoreiras).

Embora este tipo de ação esteja muitas das vezes “disfarçada” de mera propaganda ou mesmo de uma atração bastante “badalada” (não querendo dizer por óbvio, que sejam todas ilegítimas), mas o fato é que através da TELE-DIFUSÃO (expressão muito antiga, mas que descreve exatamente seu modo de ação, ou seja, Á DISTÂNCIA via mídias diversas, sejam rádios, televisão, outdoors, internet etc.) é efetuada uma verdadeira SUGESTÃO (INFLUÊNCIA) CONSCIENTE EM MASSA, podendo te-la objetivos puramente indutores de consumo, ou ainda, o que é muito pior, indutoras de certas ideias, comportamentos ou mesmo ideais, muitas das vezes distorcidos da realidade ou mesmo flagrantemente nocivos.

Meu intuito com este tópico, não foi o de gerar nenhum tipo de “paranoia” ou mesmo celeuma á respeito, mas apenas o de deixar aqui registrado um apelo ao bom senso, atenção e capacidade de discernimento individuais de cada um, perante a estes fatos. Pois no meu entender, quem deverá estar sempre no controle de sua vontade e escolhas pessoais é você mesmo, e jamais os outros!

AMBIENTES COLETIVOS

(ASSÉDIOS, DISPUTAS E ANTAGONISMOS)

Outro exemplo também muito comum, seria o de agressões trocadas (ou recebidas) em AMBIENTES COLETIVOS de CONTÍNUA CONVIVÊNCIA, como escolas, escritórios e etc. (note que o componente da premeditação, de alguma forma, já começa á despontar mais claramente, pois já começam a se formar SUAS INTENÇÕES E OBJETIVOS, até mesmo em função da dita convivência).

Usualmente, estes tipos de ataques e agressões energéticas têm por finalidade atingir o equilíbrio moral e emocional da suposta vítima (ex.: as diversas formas de “Bullying”), além é claro, o de “minar” sua resistência, levando-a à uma espécie de “derrota pessoal”. Isto seja por um puro e simples antagonismo (até mesmo de forma inconsciente, em função do caráter tendenciosamente negativo do agressor), ou ainda, visando outro tipo de intento mais concreto.

Ainda exemplificando, isto também ocorre muito quando já há algum tipo de prevenção, rusga ou mesmo predisposição ao embate em relação a suposta vítima (seja ele motivado por algum grau de inveja, ciúme, despeito ou outro sentimento qualquer), sendo portanto muito comum em ambientes com relações profissionais competitivas ou conturbadas. Neste caso específico, aquele que estiver mais “justo”, equilibrado ou mesmo protegido energeticamente, com certeza saíra vitorioso da situação!

Da mesma maneira, TODA E QUALQUER FORMA DE ASSÉDIO em geral (seja ele MORAL, SEXUAL i.a., em seus variados estágios, incluindo aquelas PRESSÕES DESMEDIDAS POR “BATER” QUALQUER TIPO METAS), também aí estão inclusos.

Na verdade, centenas de milhares de indivíduos são vítimas constantes destes tipos de agressões e assédios, e sem saber como se defenderem ou mesmo as rechaçarem adequadamente, acabam por sofrer muitas perdas, traumas e transtornos, quase sempre irreparáveis para suas vidas.

(AOS SEUS ESTÁGIOS AVANÇADOS)

PROCESSOS DE MANIPULAÇÃO E INDUÇÃO PESSOAL

Em um estágio mais avançado, o fator pessoal já é mais predominante, ou seja, são ataques direcionados a vítimas mais específicas. Neste caso, este tipo de ação já agregaria o ato de MANIPULAÇÃO ou mesmo INDUÇÃO da vítima sob o julgo do agressor ( já exigindo na maioria das vezes, e dependendo também dos objetivos, mais algum conhecimento, tanto prático como teórico, além é claro, de algum nível maior de premeditação). Existem, é verdade, pessoas manipuladoras por natureza, com grande poder magnético e de persuasão que normalmente os utilizam indiscriminadamente (mesmo que de forma inconsciente) para atingir seus objetivos e realizar seus desejos pessoais (MESMO QUE A MORAL E ÉTICA NÃO SEJAM NEM UM POUCO LEVADAS EM CONTA NESTES CASOS!).

Todos os exemplos citados anteriormente aqui se encaixam perfeitamente, apenas com os “agravantes” já descritos. Todavia, quanto maior for o foco específico do agressor pelo ente visado, proporcionalmente maiores serão os potenciais estragos no equilíbrio, saúde e bem estar energético, emocional e mental de sua vítima. Em situações mais extremas, aonde com certeza o agressor já terá quase que total domínio tanto de suas PRÓPRIAS FACULDADES PARAPSÍQUICAS, quanto sobre á VONTADE DE SUA VÍTIMA, entramos nos casos mais graves (e também mais raros, ao menos “inter-vivos”) de SUBJUGAÇÃO, que entre outros desdobramentos, podem levar á loucura e á própria morte.

Note que neste caso especificamente, o sentimento mais comum do agressor é o desprezo e o desdém em relação a sua vítima (se achando inclusive muitas das vezes, superior a ela em vários quesitos), agindo portanto de maneira egoística. Mas observe também, que o grande diferencial estará sempre oculto nos verdadeiros sentimentos e emoções envolvidas, e mais ainda, NO VERDADEIRO OBJETIVO E INTENÇÃO FINAL DA AÇÃO.

A “GRANDE TRANSIÇÃO”

“O poder do mago e do feiticeiro são o mesmo; somente o mago segura-se na árvore quando corta o ramo, e o feiticeiro esta suspenso no próprio ramo que quer cortar” (Eliphas Levy – “O Grande Arcano”/1868).

PERSEGUIÇÃO, VINGANÇA E O “ÓDIO IRRACIONAL”

Na verdade, neste estágio, chegamos há uma situação limítrofe. Dependendo de grandes quantidades de variáveis, conforme buscarei descrever á seguir, a ação pode tomar uma infinidade de contornos, ou mesmo desfechos. Já começando a deixar para trás portanto, as características mais comuns dos processos de SUGESTÃO CONSCIENTE (aonde inclusive, pode a ação ter “transitado” por um determinado tempo, mas todavia sem atingir seus objetivos), para adentrar mais ao campo da “FEITIÇARIA ORDINÁRIA” (aonde para o agressor “vale-tudo”). Continua portanto essencialmente com todos os ingredientes DE UMA AÇÃO DIRETA, todavia, ACRESCIDO DE OUTROS, E OPERANDO DE UMA FORMA TOTALMENTE IMPREVISÍVEL.

Neste território portanto, teríamos as agressões energéticas oriundas de sentimentos de puro despeito, forte inveja (sempre ela!), raiva, revolta ou mesmo obsessão por alguém (incluindo aí, como não poderia deixar de ser, o “CIÚME OBSSESSIVO”), que via de regra são “cultivados” durante algum (se não muito) tempo. Dependendo portanto deste verdadeiro “coquetel” de sentimentos e emoções envolvidos, pode levar (ou não) o operador há um grau ainda maior de preparo e premeditação da ação. Todavia neste estágio, o componente INTENCIONAL já esta mais do que claro, e da mesma forma, o DESEJO nítido de provocar danos a sua vítima (muitas das vezes, “custe o que custar!). Isto pode incluir, não raramente, a manipulação ritualística de alguns elementos (mesmo que sem tanta expertise), como suporte ao modo de ação básico dos ATAQUES DIRETOS (lembrando que, neste caso especificamente, tudo fica muito mais exacerbado!).

O “ESTOPIM” PASSIONAL

Um dos exemplos mais flagrantes (e portanto extremamente comuns!) são os de agressores motivados pelo INSTINTO PASSIONAL (neste caso, é claro, pela não correspondência ao mesmo); “paixonites” Platônicas, assédios com motivação amorosa e sexual não correspondidas, relacionamentos desfeitos, entre outros.

Entretanto, por este mesmo motivo, caso o operador não tenha a experiência e os conhecimentos necessários, e se deixar levar apenas pelos sentimentos e emoções envolvidos (em especial, se O DESEJO PURO DE VINGANÇA, UNIDO AO “ÓDIO IRRACIONAL” estiver presente e dominante), este tipo de ação normalmente pode descambar para as vias de fato, ou seja, NUM CRIME COMUM! Portanto sempre muito cuidado com estes tipos maníacos obsessivos! (que costumam também ser os que mais conseguem disfarçar esta sua “condição”, até a explosão final , e muitas das vezes, repentina).

Seria relevante também comentar, que nestes casos, normalmente a agressão se da na presença mais imediata (raio de ação física/psíquica direta) do agente agressor para sua vítima, pois afinal de contas, ele precisa ver e sentir as consequências “do destilar e da ação de seu veneno”…

Portanto, fica o alerta para todos os últimos casos descritos: ATENÇÃO E PREVENÇÃO SEMPRE! Crie uma rotina energética saudável, tendo mais atenção e cuidado com seus relacionamentos e aprendendo a detectar com mais antecedência estes tipos de agressores. Da mesma forma, procure compreender mais sobre sua anatomia sutil e os meios mais eficazes para sua proteção e fortalecimento PSÍQUICO-ENERGÉTICO como um todo.

ATAQUES PSÍQUICOS TOTALMENTE DIRIGIDOS

Nesta terceira e última parte de meu ensaio, procurarei dar uma breve visão geral sobre alguns processos considerados de fato bem mais avançados ou mesmo “sofisticados”, dentro desta matéria. Digo isto, pois de fato existem outras formas de ataques e agressões energéticas que se destacariam muito entre as demais, cada qual á sua intensidade e potencial de contundência, pelos graves prejuízos físicos, materiais, morais, emocionais, mentais e espirituais que podem vir a causar em suas vítimas invigilantes: os ATAQUES TOTALMENTE DIRIGIDOS e a GOÉCIA (ou a dita “MAGIA NEGRA”).

“Se não conheces o ódio, a dor, a ganância e a covardia, então não conheces o amor, o prazer, a generosidade e a coragem – pois todos são graus do mesmo ideal. Aceita o bem e o mal dentro de ti, porque não há uma separação entre ambos. Sem um, o outro não tem significado.” (“O APÓCRIFO DO DIABO”)

A PROJEÇÃO MENTAL DIRETA

(O “ÓDIO RACIONAL” E SEU PODER DESTRUTIVO)

Em uma variação um pouco mais incomum dos métodos de ação puramente diretos, e portanto, assumindo aqui o seu aspecto ainda mais nefasto e destrutivo, estão os ataques praticados por indivíduos com um grau de CONHECIMENTO e DOMÍNIO da AÇÃO MUITO MAIS AVANÇADO. São agressões energéticas DIRETAS, mas todavia advindas de uma forma bem mais elaborada de preparo e premeditação, e sempre de maneira DIRIGIDA (ou seja, COM CARGA POTENCIALIZADA E DEVIDAMENTE “ENDEREÇADA”).

Sendo que neste caso, tendo comumente o sentimento específico do “ÓDIO RACIONAL” como seu principal componente vital e potencializador da ação (exigindo conforme já descrito anteriormente, muito mais experiência, conhecimentos e habilidades do operador, pois o mesmo já consegue manipular de acordo com sua vontade, um sentimento tão perigoso e destrutivo, de forma “racional”, ou seja, para uma finalidade e desejo muito específico).

Nesta forma de ataque, além da PROJEÇÃO MENTAL DIRETA (CONSCIENTE), são comumente utilizados em conjunto, comandos verbais e gestuais bastante específicos, associados ainda a processos ritualísticos, tanto praticados com certa antecedência (em aporte e preparo á ação propriamente dita), como no próprio ato da ação (incluindo aí diversas substâncias e aviamentos, tais como pós, pembas, terras de cemitério etc.), seres elementares criados artificialmente, entre diversos outros meios.

Neste último caso, curiosamente a ação se da normalmente um pouco mais á distância do ente visado, buscando não dar a vítima a mínima chance de defesa. Podendo estar a mesma ainda no raio de ação do agressor, mas não tão próxima, como de forma traiçoeira (“pelas costas”, por exemplo), ou ainda, um pouco mais distante, mas SEMPRE DENTRO DO CAMPO DE VISÃO DO MESMO.

Não querendo afirmar com isso, que estes tipos de agressores não possam agir frontalmente, pois neste estágio, já atingiram um nível de auto-envenenamento mental e psíquico (ou mesmo “frieza”) bastante avançado, O QUE OS TORNAM ADVERSÁRIOS POTENCIALMENTE MUITO MAIS PERIGOSOS E DE UM GRAU MUITO MAIS DIFÍCIL DE DEFESA, OU MESMO ENFRENTAMENTO (QUANDO ASSIM SE FIZER NECESSÁRIO).

AS PROJEÇÕES DIRIGIDAS Á DISTÂNCIA

PROCESSOS MENTAIS SUBCONSCIENTES (SUGESTIVOS/TELEPSÍQUICOS)

“Existe um meio seguro de exercer influência sobre outrem, de longe ou de perto; um meio bastante sutil para continuar despercebido, por mais profundamente que se sofra a sua invisível ação à qual, aliás, ninguém é inacessível”. (Paul-Clément Jagot, aluno e colaborador direto de Hector Durville e um dos maiores expoentes do “novo mentalismo” desde o início do séc XX)

Além do exemplo anterior, vou discorrer ainda sobre uma outra categoria de ATAQUE PSÍQUICO DIRIGIDO, que difere significativamente desta última, pois busca a atuar TOTALMENTE Á DISTÂNCIA E DE FORMA CONTÍNUA sobre a vítima: as PROJEÇÕES TELEPÁTICAS E HIPNÓTICAS DIRIGIDAS (que neste caso, podem estar ou não associadas há algum processo MAGÍSTICO ou mesmo RITUALÍSTICO). Nesta categoria inclusive, mesmo que mais raramente para finalidades escusas, estariam também inclusas EMISSÕES DEVIDO Á FORMAS (ONDAS DE FORMA) VARIADAS, bem como PROCESSOS RADIÔNICOS (com o uso e/ou aporte de máquinas) ou mesmo PSICOTRÔNICOS.

Observem que estes processos, quando utilizados com a devida expertise, são potencialmente tão mais perigosos e eficazes que muitos outros, até mesmo pelo seu método específico de ação, que visa a atingir SEMPRE DIRETAMENTE A MENTE SUBCONSCIENTE (ou o INCONSCIENTE, buscando desta forma, “bypassar” a proteção natural “imposta” pela CONSCIÊNCIA OBJETIVA) de suas vítimas, além é claro, do “bombardeio” constante da informação que produzem, e em qualquer lugar em que a vítima se encontre.

Como ficou evidente, se trata de um tipo de ação muito mais “refinada”, exigindo (para seu êxito efetivo) um treinamento e poder de concentração e controle mental expressivo, além é claro, de muita persistência, técnica e conhecimentos apurados do operador (ou seja, com a relação método/objetivo fortemente delineada pelo mesmo). Ademais a isso, por se tratar também do mais “abstrato” de todos os métodos de ação por mim descritos ao longo deste ensaio.

CONSIDERAÇÕES SOBRE A GOÉCIA (OU  “MAGIA NEGRA”)

Não obstante a todos os exemplos citados anteriormente, é muito importante deixar claro que a GOÉCIA (do grego: “GOETIA”) ou NIGROMANCIA, vulgarmente conhecida como “MAGIA NEGRA”, existe também de forma organizada tanto em seus ritos, métodos e fundamentos, como em suas práticas.

Os ditos “trabalhos feitos” de ordem magnética / astral / mental, têm um potencial de contundência terrível, quando encontram a “BRECHA” NECESSÁRIA PARA ATINGIR O ENTE VISADO.

Como todos os processos dos ATAQUES PSÍQUICOS já citados, a dita “MAGIA NEGRA” também conta com uma série de variáveis, desde o grau de conhecimento e especialização de seus operadores (encarnados ou não), panteão ou sistema utilizado, objetivos, materiais empregados entre muitas outras.

Seguem portanto em caráter ilustrativo, dois breves exemplos de operações dentro do âmbito da “MAGIA NEGRA” tradicional e outro que já começa a despontar como um dos futuros “CLÁSSICOS SINISTROS” DESTE SÉCULO!

O ENVULTAMENTO Á DISTÂNCIA

Este sem sombra de dúvidas (com o perdão do trocadilho), é um dos exemplos mais ilustrativos da “ARTE NEGRA” tradicional.

O ENVULTAMENTO trata-se portanto, de uma projeção á distância de uma “CARGA” com várias finalidades destrutivas (trazer morte, perdas severas, doenças, acidentes e etc., ao ente visado), e sendo assim, COM “ENDEREÇAMENTO VIBRATÓRIO” DIRETO. A operação se dá através de um processo ritualístico muito tradicional, pois é utilizado por diversas vertentes da feitiçaria e bruxaria há muitos séculos, fazendo-se o uso de “vultos” (“imagens de correspondência”), associando também como fatores potencializadores/catalizadores/condensadores, qualquer material que contenha D.N.A. da pretensa vítima (sangue, secreções, cabelo, unhas etc.), diferindo portanto dos procedimentos “mais convencionais” para estes casos (como a simples utilização de nomes escritos ou verbalizados e fotos, por exemplo).

Dependendo entre outras circunstâncias, do “estado de receptividade” e vulnerabilidade da pretensa vítima, os resultados podem ser FUNESTOS. Lembrando apenas, que o contrário também é verdadeiro (SEMPRE SERÁ UM CAMINHO DE DUAS VIAS). Traduzindo: “O CHOQUE DE RETORNO” costuma ser também proporcionalmente fatal…

O VAMPIRISMO PSÍQUICO e A MAGIA PREDATÓRIA

Mesmo não sendo, a princípio, uma forma de ataque ou agressão energética necessariamente alinhada aos processos tradicionais da dita “Magia Negra” (ritualística), procurei descreve-lo por aqui, em função do desdobramento de sua ação, este sim, para um patamar muito mais avançado e potencialmente perigoso, e que portanto, é “digno” do hall das operações GOÉTICAS (como descreverei á seguir).

De maneira geral, os processos mais comuns que se enquadrariam dentro do modo de ação do dito VAMPIROS PSÍQUICO , costumam ser muito extensos e diversificados, e da mesma forma, a gama de indivíduos que os praticam. Por isso mesmo, embora seja de fato um tópico merecedor de muita atenção em minhas aulas e treinamentos em particular, por aqui acabo tendo que me limitar um pouco.

Via de regra, em seus estágios iniciais, a ação se dá muito mais na presença imediata da pretensa vítima, incluindo portanto, leves toques físicos (cuidado com elementos pegajosos!, especialmente aqueles que adoram falar dando “toquinhos” no interlocutor!), certos abraços e aperto de mãos (obviamente que associados a outros indícios!), o olhar (sim, o mesmo que projeta, também absorve!) entre outros métodos bastante usuais. Em algumas aglomerações, isto também é bastante comum, devido ao grande “entrelaçamento de auras” que ocorrem.

Todavia, a grosso modo, a maioria destes ditos “vampiros” são relativamente fáceis de serem identificados, e também na maioria dos casos, as técnicas que empregam são mesmo mais comuns e rudimentares, por assim dizer, se comparadas a VERDADEIRA MAGIA PREDATÓRIA. Portanto, estes logram êxito muito mais pela nossa falta de cuidados básicos e mínima atenção com nosso próprio “patrimônio energético” (pois assim é que deveria ser considerado por nós!), do que mesmo por seu nível de periculosidade. Salvo, é verdade, algumas exceções.

Ainda no caso específico do VAMPIRISMO PSÍQUICO, igual a tantos outros exemplos já ilustrados, podem haver muitas ocorrências espontâneas destes fenômenos, ou seja, não intencionais (obviamente que em função de indivíduos sem energia própria, “VAMPIROS EMOCIONAIS” ou mesmo das ditas pessoas “tóxicas” e etc., já citadas e descritas anteriormente). Isto sempre também associado ao grau de suscetibilidade de suas vítimas, ou mesmo, invigilância.

A MAGIA (“NEGRA”) PREDATÓRIA

Esta sim, dotada de uma técnica extremamente “refinada” e perversa, praticada normalmente por elementos de altíssima periculosidade, e inclusive, por EGRÉGORAS INTEIRAMENTE DEDICAS A ISSO! (que são, obviamente, criadas, acionadas e direcionadas para seus intentos, por estes mesmos indivíduos). O objetivo neste caso, não é o apenas de tão somente “roubar energia”, mas sim, DE SUGAR E ELIMINAR TODO E QUALQUER TRAÇO DE VITALIDADE EXISTENCIAL EM SUAS VÍTIMAS. Sendo que este processo, não raro, pode continuar além túmulo!

Sua metodologia inclui desde as abordagens presenciais (utilizando técnicas mentais mais avançadas), incluindo o ataque dirigido a múltiplos indivíduos (e ao mesmo tempo!), além é claro, do VAMPIRISMO Á DISTÂNCIA, utilizando-se da PROJEÇÃO DIRIGIDA DO PRÓPRIO COPRPO ASTRAL DO AGRESSOR.

Por outro lado, mesmo que exigindo necessariamente do operador (ou operadores, encarnados ou mesmo desencarnados!) conhecimentos, habilidades e treinamento ainda mais avançado para sua prática efetiva (na grande maioria dos casos, para que de fato logrem algum êxito), são em verdade técnicas cada vez mais utilizadas atualmente por elementos dedicados a este tipo de “PATH”.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Estes seriam portanto os exemplos mais ilustrativos de tantas modalidades operativas, intencionais ou não, das mais variadas formas de atuação dos ditos ataques psíquicos e agressões energéticas. Em meus treinamentos mais avançados á respeito, são abordadas em profundidade todas estas modalidades descritas, entre muitas outras formas, métodos e mecânicas de ação existentes.

Finalizando assim este ensaio, mas jamais tendo tido a pretensão de esgotar o tema, é de extrema relevância esclarecer também que a chave (resumida) que envolve todas as ações e processos descritos é MENTAL. Por isso se torna tão importante o condicionamento e o treinamento dentro das técnicas mais avançadas da DEFESA PSÍQUICA & ENERGÉTICA, em especial para todos aqueles que por qualquer motivo (ou mesmo interesse), se achem ás voltas com os referidos processos…

Pois como já dizia o velho adágio: “YO NO CREO EN BRUJAS, PERO QUE LAS HAY, LAS HAY” (da obra de Miguel de Cervantes Saavedra)

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS: “Para Combater o Feitiço – Modo de Desfazer Scientificamente a Feitiçaria e outras Artes da Magia Negra” (Dr. Papus/O Pensamento-1923) ; “Autodefesa Psíquica- Um Estudo sobre a Patologia e a Criminalidade Oculta” (Dion Fortune/O Pensamento); “A Influência à Distância – Curso Prático de Telepsíquia” (Paul-Clément Jagot/Pensamento); “O Efeito Nocebo” (Roger de Lafforest/Siciliano);  “Ataque e Defesa Astral” (Marcelo Ramos Motta/O.T.O Brasil);”Envoûtement et Contre-Envoûtement – Méthode Pratique D’action & de Protection” (R.P. Sabazius/Paris Oculta-1937) ; “Magia de Redenção” (Ramatís/Hercílio Maes/ Editora do Conhecimento); “Vampiros Psíquicos- Proteção contra Predadores Energéticos e Parasitas Mentais” (Joe H. Slate/O Pensamento); “Goecia- Estudio Histórico e Científico de la Magia Pasional y Erótica” (Enediel Shaiah/Pueyo-Madrid); “O Grande Arcano” (Eliphas Levy/O Pensamento); “O Apócrifo do Diabo” (John A. De Vito/Madras); “Sacerdotium Umbrae Mortis” (G. de Laval/Aeon Sophia Press); “O Vampirismo (Robert Ambelain/Livraria Bertrand); “Vampiros Emocionais” (Albert J. Bernsyein, Ph.D./Campus); “Baneful Magick” e “Works of Darkness” (E.A. Koetting/Ixaxaar). 

Grato pela visita!

Se interessou pelo assunto?
Fale comigo

Icone do Facebook



Chat