Artes Divinatórias & Oráculos: minha visão pessoal

Imagem Metodologia e Objetivos

“O Tarot é um método intuitivo que têm a finalidade de compreender o fluxo da vida, possivelmente até predizendo eventos futuros, e em todo o caso, emprestando-se à leitura das condições do presente momento…”

CARL GUSTAV JUNG (1875-1961), PSIQUIATRA E PSICOTERAPEUTA SUÍÇO.

Sobre meus métodos, conceitos e objetivos em relação as práticas Divinatórias e Oraculares:

Em primeiro lugar, é muito importante destacar que em meus atendimentos e consultorias, o uso das Artes Divinatórias (via seus Instrumentos Oraculares e Simbológicos; e.g. Tarots, Baralhos, Runas, Dados e etc.) visam primordialmente a orientação para O MOMENTO VIVIDO, ou seja, buscando um melhor aproveitamento e utilidade prática da consulta para o próprio consulente! Pois é justamente á partir da compreensão sobre a realidade do momento em que se vive, associada as próprias decisões e escolhas que se seguem, que o indivíduo “cria”o seu próprio destino, ou se preferir ainda, o seu próprio “futuro”. Portanto, o emprego das mesmas têm neste sentido o objetivo de serem sempre SUPORTE ao atendimento, e NÃO UMA FINALIDADE EM SI.

Já em minha experiência prática, o uso destes Instrumentos se dão sempre de acordo com a interpretação simbológica e arquetípica dos mesmos, ou seja, via conhecimentos e técnicas individuais e pertinentes a cada um desses sistemas (além é claro, mesmo que subjetivamente, a via intuitiva).  Destacaria também, a importância da atenção com a escolha da estrutura em particular de cada tipo de sistema/instrumento a ser utilizado (sejam cartas, pedras, runas, dados, ossos etc.), relacionada ainda, como não podia deixar de ser, a energia e/ou sintonia individual do próprio consulente (justamente a qual, na maioria das vezes, indica a melhor escolha entre os diversos tipos de Instrumentos/sistemas que tenho disponíveis).

Portanto há que se deixar bem claro que os instrumentos Oraculares são (da mesma forma que a própria Radiestesia) “FERRAMENTAS PSÍQUICAS” excepcionais, quando utilizados com a melhor técnica, conhecimento, ética e responsabilidade, além é claro, de amor e respeito (principalmente para com o próprio Oráculo!). E na prática, podem realmente desta forma, entre outros objetivos específicos, identificarem bloqueios e/ou influências energéticas negativas (internas ou externas) á vida do consulente (que influem, entre outros fatores, em sua vida afetiva, financeira e etc.), auxiliarem em suas tomadas de decisões e escolhas (indicando os possíveis melhores caminhos para o momento e/ou situação em que se vive), identificarem padrões de energias já circundantes ao consulente (indicando e/ou prevenindo sobre possíveis acontecimentos, ou melhor ainda dizendo,“precipitações – materializações” de fatos e/ou eventos á serem possivelmente vividos) e assim por diante.

TODAVIA EM NÃO SE TRATANDO JAMAIS (SOB NENHUMA HIPÓTESE), DE MEROS “JOGUETES DE ADVINHAÇÃO” OU AINDA PRETEXTOS PARA EXERCÍCIOS VAZIOS DE “PSEUDO FUTUROLOGIA”.

E como uma advertência final, os Oráculos também NUNCA devem ser considerados e/ou utilizados como “MULETAS PSÍQUICAS” para quem deles recorrem em consulta! Pois isto ao longo do tempo acaba por gerar uma espécie de dependência perniciosa, que se torna cada vez mais contra-producente ao indivíduo, trazendo só prejuízos em todos os sentidos: perda de tempo, energia e recursos são as definições mais objetivas para estes casos.

Grato pela visita!

Se interessou pelo assunto?
Fale comigo

Icone do Facebook



Chat